Análise do texto anterior sobre publicidade infantil

  1. Informe a tese do autor.
  2. Aponte seus argumentos e em qual (quais) parágrafo(s) se encontram.
  3. Que medidas de intervenção foram sugeridas?

Identifique que termos do texto são retomados pelos elementos coesivos destacados

A publicidade infantil movimenta bilhões de dólares e é responsável por considerável aumento no número de vendas de produtos e serviços direcionados às crianças. No Brasil, o debate sobre a publicidade infantil representa uma questão que envolve interesses diversos. Nesse contexto, o governo deve regulamentar a veiculação e o conteúdo de campanhas publicitárias voltadas às crianças, pois, do contrário, elas podem ser prejudicadas em sua formação, com prejuízos físicos, psicológicos e emocionais.

Em primeiro lugar, nota-se que as propagandas voltadas ao público mais jovem podem influir nos hábitos alimentares, podendo alterar, consequentemente, o desenvolvimento físico e a saúde das crianças. Os brindes que acompanham as refeições infantis ofertados pelas grandes redes de lanchonetes, por exemplo, aumentam o consumo de alimentos muito calóricos e prejudiciais à saúde pelas crianças, interessadas nos prêmios. Esse aumento da ingestão de alimentos pouco saudáveis pode acarretar o surgimento precoce de doenças como a obesidade.

Em segundo lugar, observa-se que a publicidade infantil é um estímulo ao consumismo desde a mais tenra idade. O consumo de brinquedos e aparelhos eletrônicos modifica os hábitos comportamentais de muitas crianças que, para conseguir acompanhar as novas brincadeiras dos colegas, pedem presentes cada vez mais caros aos pais. Quando esses não podem compra-los, as crianças podem ser vítimas de piadas maldosas por parte dos outros, podendo também ser excluídas de determinados círculos de amizade, o que prejudica o desenvolvimento emocional e psicológico dela.

Em decorrência disso, cabe ao Governo Federal e ao terceiro setor a tarefa de reverter esse quadro. O terceiro setor – composto por associações que buscam se organizar para conseguir melhorias na sociedade – deve conscientizar, por meio de palestras e grupos de discussão, os pais e os familiares das crianças para que discutam com elas a respeito do consumismo e dos males disso. Por fim, o Estado deve regular os conteúdos veiculados nas campanhas publicitárias, para que essas não tentem convencer pessoas que ainda não têm o senso crítico desenvolvido. Além disso, ele deve multar as empresas publicitárias que não respeitarem suas determinações.  Com esses atos, a publicidade infantil deixará de ser tão prejudicial e as crianças brasileiras poderão crescer e se desenvolver de forma mais saudável.

(Antônio Ivan Araújo, Ceará)

Classifique os fragmentos a seguir de acordo com o tipo textual que representam:

 

 

I – “A vítima, Solange dos Santos (22 anos), moradora da cidade de Marília, era magra, alta (1,75), cabelos pretos e curtos; nariz fino e rosto ligeiramente alongado.”

II. – A língua está viva

Ivana Traversim

Na gramática, como muitos sabem e outros nem tanto, existe a exceção da exceção. Isso não quer dizer que vale tudo na hora de falar ou escrever. Há normas sobre as quais não podemos passar, mas existem também as preferências de determinado autor – regras que não são regras, apenas opções. De vez em quando aparece alguém querendo fazer dessas escolhas uma regra. Geralmente são os que não estão bem inteirados da língua e buscam soluções rápidas nos guias práticos de redação. Nada contra. O problema é julgar inquestionáveis as informações que esses manuais contêm, esquecendo-se de que eles estão, na maioria dos casos, sendo práticos – deixando para as gramáticas a explicação dos fundamentos da língua portuguesa.

(…)

Com informação, vocabulário e o auxilio da gramática, você tem plenas condições de escrever um bom texto. Mas, antes de se aventurar, considere quem vai ler o que você escreveu. A galera da faculdade, o pessoal da empresa ou a turma da balada? As linguagens são diferentes.

Afinal, a língua está viva, renovando-se sem parar, circulando em todos os lugares, em todos os momentos do seu dia. Estar antenado, ir no embalo, baixar um arquivo, clicar no ícone – mais que expressões – são maneiras de se inserir num grupo, de socializar-se

(Você S/A, jun. 2003.)

 

III. “No dia seguinte, com a volta do cunhado, chamou-se o veterinário oficial. Quis informações sobre o colega que me atendera.
Contei que ele se limitara a pedir um tapete e pusera Big em cima. Depois pedira um café e uma cadeira, cobrando-me 90 mil cruzeiros pelo trabalho.(…)”

a) descritivo, narrativo ,  dissertativo-argumentativo

b) narrativo, dissertativo-argumentativo, descritivo

c) dissertativo-argumentativo, descritivo, narrativo

d) descritivo, dissertativo-argumentativo, narrativo

e) narrativo, descritivo, dissertativo-argumentativo

Texto Dissertativo: Atividades

1) Leia o texto e responda as questões.

O Desemprego em Portugal

Como é do conhecimento público, geralmente divulgado por meios da comunicação social, o desemprego em Portugal está a atingir proporções incontroláveis e inaceitáveis. Esta situação atinge desde os operários fabris, professores, recém-licenciados, trabalhadores de meia-idade, tanto o sector privado como o publico são afectados, e chegamos, mesmo ao cúmulo, caros leitores, de “despedir” mulheres grávidas no nosso país. E qual a resposta do nosso Governo aos apelos dos nossos trabalhadores? O silêncio, nada mais inconveniente e doloroso silêncio. São 500 mil, não são mil nem dois mil, são 500 mil desempregados, a quem o nosso Estado continua a ceder subsídios de desemprego, ignorando, ou parecendo ignorar, a necessidade de criar e inovar postos de trabalho. Antes das eleições legislativas, o nosso atual primeiro-ministro, Eng. José Sócrates, garantiu aos Portugueses a forte aposta governamental na tecnologia e inovação no nosso quotidiano. Todavia, amigos leitores, em que medida esta promessa serve de reforço a esta situação? Poderão tirar as vossas conclusões, olhando para os 500 mil que se agrupam nas manifestações, contra encerramentos de indústrias têxteis e outras, exigindo indenizações ou exigindo mesmo os seus salários em atraso. A minha questão coloca-se a si caro leitor e também às “ grandes “ influências, neste país de influências e favores – Será necessária a intervenção da União Europeia neste problema social e sobretudo nacional? Martin Luther King disse ‘ I have a dream…’ – será que em cada um dos Portugueses também há? Será que Portugal ainda tem sonhos? Eu e você temos, e queremos um Portugal melhor e internacionalmente reconhecido, não só pelas suas dificuldades, mas pela sua rápida (supostamente) intervenção e resolução destes temas. Mas não podemos ficar eternamente à espera que o nosso Governo se debruce sobre este perene problema. Os Portugueses vão continuar a fazer “bolinhas” à volta dos anúncios nos jornais, a marcar entrevistas, e a escutar um “ NÃO!” pelo celular. Só continuaremos a alimentar ilusões…

Catarina Ferreira

a) Qual é o assunto abordado no texto?

b) Qual é a tese do autor do texto sobre o assunto? Em que parágrafo se encontra?

c) Em quais parágrafos ela desenvolve (usa a argumentação) o assunto?

d) Interprete a seguinte afirmação situada no texto: “Os Portugueses vão continuar a fazer “bolinhas” à volta dos anúncios nos jornais, a marcar entrevistas, e a escutar um “ NÃO!” pelo celular”

2) Escolha um dos temas a seguir e produza um texto argumentativo a respeito.

a) A influência da televisão;

b) A importância dos estudos;

c) O racismo no Brasil;

d) O trabalho na adolescência.

Obs.: Seu texto deverá ter, no mínimo, dez linhas e dois argumentos.